I made this widget at MyFlashFetish.com.

terça-feira

Brasil: colhendo os frutos da negligência??? será???


A revista Economist diz que alguns aspectos da economia brasileira que não foram alvo de reformas estão agora ajudando o país a suportar melhor a crise, com destaque para a grande influência estatal no setor financeiro, via Banco do Brasil, Caixa Econômica Federal e BNDES.

A Economist ressalta que o Brasil já fazia o que em outros países virou moda com a crise:
orientar os bancos e o crédito direto para onde os políticos acham que eles devem ir. A publicação lembra que, recentemente, o Goldman Sachs considerou a forte participação do Estado brasileiro na economia como uma vantagem.

A revista britânica observa ainda que, embora o Brasil tenha sido poupado do pior da crise até agora, a economia do país está dando sinais de enfraquecimento, citando as demissões na Embraer e na Vale, e mencionando também a queda de 12% nos índices da produção industrial em dezembro, a maior em 17 anos.

A matéria informa que as dificuldades enfrentadas pelo Brasil em tempos de crise da economia global remontam pelo menos aos anos 1930, quando sofremos um golpe de estado durante a Grande Depressão.
As crises asiática e russa, em 1997 e 1998, e a crise argentina, em 2001, também atingiram o Brasil em cheio, mas agora o país está mais preparado, em grande parte por causa da redução da dívida pública para menos de 40% do PIB.

2 comentários:

Francisco Castro disse...

Olá, William!

Essa questão da intervenção do Estado na economia muita gente é contra. Muitas vezes por pura ignorância or por puro preconceito.

Em situação de crise, a intervenção do Estado na economia é fundamental. Alguns que pensam que sabem alguma coisa dizem que o mercado se auto regula e se auto ajusta. Nos últimos dois anos temos exemplos aos montes de que isso é uma pura mentira. Somente o Estado forte pode levar a economia para o caminho do crescimento e ao ajuste necessário que leve ao desenvolvimento e bem estar sa sociedade.

Você resumiu muito bem a situação que as empresas que ficar: !Estatização dos lucros e estatização das perdas". É exatamente isso que assitimos em quase todos esses eventos de crises.

Abraços

Francisco Castro

blogdocatarino.com disse...

Ainda bem que os efeitos estão reduzidos, pois seria ruim para todos e não adianta ser contra as medidas do governo, temos que torcer para que tome as medidas certas.